A ciência da Gratidão

Publicado em 13/07/2020 por Filipa Jardim da Silva

Se tivéssemos que identificar um elemento como sendo o ingrediente chave para a felicidade poderíamos destacar a gratidão. Inúmeras investigações têm vindo a dar conta de múltiplos benefícios para a saúde global de práticas regulares de gratidão, isto é, o reconhecimento espontâneo e genuíno de algo de bom. Pode parecer algo simples mas é uma prática tantas vezes ignorada num dia-a-dia acelerado com um foco excessivo no que é negativo.

A palavra gratidão vem do latim gratia, que significa graça. Ou seja, um sentimento de apreço por algo positivo que está a acontecer, que vem do coração e não da cabeça.

Fomentar uma atitude de gratidão pode ser algo treinado, até converter-se num hábito. Há várias formas de o fazer mas independentemente das estratégias adoptadas, agradecermos o que de positivo temos nas nossas vidas despoleta efeitos impactantes no nosso corpo e mente.

  1. Melhoria da saúde física

Diversos estudos têm identificado uma associação entre níveis mais altos de gratidão e uma diminuição dos biomarcadores inflamatórios. Adicionalmente, práticas regulares de gratidão fomentam uma melhoria da qualidade do sono, do humor e dos níveis de energia.

  • Diminuição da Percepção de Dor

Investigação com doentes internados mostrou que a prática de um diário da gratidão levou a uma diminuição significativa de queixas físicas e de percepção de dor. Complementarmente, os níveis de esperança e motivação para a recuperação aumentaram.

  • Gestão mais eficaz de stress

A gratidão tem um efeito positivo no nosso sistema nervoso e na saúde cardiovascular. Um estudo de 2007 verificou uma diminuição da tensão arterial em doentes hipertensos que foram convidados a agradecer aspectos positivos da sua vida uma vez por semana. A manutenção de um diário da gratidão tem surgido associada a uma redução até 10% da pressão sanguínea e a uma diminuição dos níveis de cortisol. O foco em elementos positivos auxilia na recuperação de situações adversas do dia-a-dia, traduzindo-se numa melhor gestão de stress.

  • Redução de Ansiedade e Depressão

Inúmeros estudos em torno dos benefícios da gratidão a nível de saúde mental têm demonstrado, de forma consistente, que manter um diário de agradecimento ou notas escritas de apreço regulares pode aumentar os níveis de felicidade até mais de 10% e diminuir de forma significativa os riscos de quadros ansiosos e depressivos. Estudos mais recentes com sujeitos deprimidos e ansiosos, recorrendo a imagem por ressonância magnética, comprovou melhorias comportamentais significativas aquando da introdução de práticas diárias de gratidão, notando-se melhorias na comunicação neuronal a par de mudanças no córtex pre-frontal, traduzindo-se numa maior capacidade de gerir e regular emoções como a culpa e a tristeza e de activar e prolongar emoções mais agradáveis.

  • Fomenta o estabelecimento de novas ligações e melhora a saúde das relações amorosas

Uma atitude positiva e de apreço revela-se atraente e apelativa para outros, emanando-se uma energia contagiante. De igual forma, em relações amorosas a capacidade de se apreciar o que de positivo se tem aumenta os níveis de satisfação relacional e ajuda a superar momentos mais desafiantes da conjugalidade.

  • Maiores níveis de auto-estima e de auto-confiança

Quando se treina o hábito de se reconhecer e apreciar o que já se é, já se tem e já se faz a forma como olhamos para nós e para a nossa vida gera maiores níveis de satisfação e confiança. Num tempo de exigência crónica, em que a sociedade nos diz que podemos ser sempre mais e melhores, equilibrarmos a ambição e auto-crítica construtiva com a capacidade de apreciar e elogiar o melhor de nós mesmos é fundamental para nos empoderarmos mais do nosso real valor.

Já se convenceu dos múltiplos benefícios da gratidão para a sua saúde física e psicológica? Ficam então algumas sugestões de práticas que poderão ser introduzidas no seu dia-a-dia.  

  • Diário da Gratidão – arranje um caderno que constitua uma espécie de diário de bordo do seu dia-a-dia, e convide-se a registar ao início de cada dia três aspectos pelos quais está grato. Faça por diferenciar estes elementos todos os dias. Poderá fazer este exercício de forma partilhada, em família, em que cada elemento identifica três coisas boas pelas quais está agradecido. (Exemplos: gratidão pela capacidade de ver as cores de um céu azul, pela possibilidade de falar em liberdade, por se ter uma família que nos ama, por adormecermos em segurança…)
  • Treine o seu músculo do elogio – ao final de cada dia permita-se destacar três atitudes, comportamentos e/ou escolhas que apreciou em si mesmo naquele dia e de que forma estão alinhados com os seus valores. Note depois um aspecto menos positivo e procure retirar alguma aprendizagem dessa situação.
  • Equilibre a tendência negativa – para cada crítica ou queixa que se apanhar a fazer na sua rotina diária, convide-se a identificar três aspectos positivos, para equilibrar.
  • Citações inspiradoras – colecione citações geradoras de esperança e de foco nas suas metas.
  • Mentalidade de crescimento – habitue-se face a qualquer adversidade ou frustração a procurar encarar o que está a acontecer como uma oportunidade de aprendizagem e de fortalecimento. “O que posso aprender com esta situação?” ou “Se isto que me está a acontecer for uma lição para melhorar o que será suposto daqui retirar?”
  • Práticas Meditativas – treine o seu músculo de atenção diariamente, contemplando momentos do seu dia-a-dia com mais foco e perpectiva, para estar mais inteiro. Poderá também fazer algumas meditações em torno da capacidade de agradecer.

Praticarmos uma atitude de gratidão torna aquilo que temos em suficiente e satisfatório e contribui para vivermos de uma forma mais plena o aqui-e-o-agora.

Espero que tenham gostado!

Até breve

Uma resposta para “A ciência da Gratidão”

  1. Mariângela disse:

    Excelente, adoro publicação desse gênero e faço meditação 🙏

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Compartilhe esta matéria!

RSS
E-mail
Facebook
Twitter
LinkedIn





Instagram da Andressa


Translate